sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Ar condicionado democrático

Ar condicionado é um troço estranho. De um tempo pra cá as pessoas ficaram tão viciadas nessa maravilha da vida moderna que são capazes de passar o dia todo agasalhadas dentro do escritório com o aparelho ligado na máxima potência. O que é um desrespeito ao planeta, já que vivemos em tempos de aquecimento global. Mas não é isso que vem ao caso.

O fato é que as pessoas são diferentes entre si e se sentem bem em diferentes temperaturas. Não vou entrar na discussão se pessoas com mais peso sentem menos frio, nem se a quantidade de melanina influencia na temperatura do corpo. Mas que é impossível agradar a todas as pessoas que compartilham um ambiente com ar condicionado, isso não dá pra negar.

E já que é impossível agradar a todos, a solução deve ser a mais democrática possível. Imagine um aparelho de ar condicionado que perguntasse a cada celular bluetooth presente naquele ambiente se a temperatura está ok, se deve aumentar ou diminuir. O indivíduo responde no celular em poucos segundos e a temperatura do local se adequa automaticamente à opinião da maioria.

Isso se aplicaria a restaurantes, bares, salas de aula, escritórios e todos os recintos coletivos que possuíssem um aparelho desses.

E viva a democracia \o/

3 comentários:

Elisa Volpato disse...

Faltou falar de um mecanismo para mudar a música ambiente de um lugar! Por que não é possível que alguém realmente goste de um som putz putz amorfo enquanto almoça, né? :P

Ana Claudia Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Claudia disse...

Eu simplesmente adorei a idéia.
Eu tenho certo problema com temperatura, sou muito friorenta e trabalho do lado de uma louca na menopausa que sente muito calor, assim causaria menos transtorno dela reclamando do meu lado, rsrsr...